Arquivo da categoria: Minha vida

A DOR NAO TEM DIA PARA CHEGAR NEM PARA SAIR!

EU PERDI MEU
FILHO HOJE

“Eu perdi meu  único filho hoje. As pessoas vieram sofrer e chorar,
e eu simplesmente sentei e encarei tudo, estava atônita, sem acreditar naquilo que estava acontecendo.
Eles procuravam palavras para dizer, tentar e fazer minha dor ir embora.
Eu caminhava, sem acreditar. Eu perdi meu filho hoje.

Eu perdi meu filho mês passado.
Algumas pessoas ligam, e algumas permanecem.
Eu quero acordar disto, não pode ser real, eu quero gritar.
Tudo está ainda trancado aqui dentro. Deus me ajude, eu quero morrer.
Eu perdi meu filho mês passado.

Eu perdi meu filho ano passado.
Agora as pessoas que ainda vinham, se foram.
Eu sento e luto o dia todo, para suportar a dor profunda aqui dentro de mim.
E agora me perguntam o porquê. ‘Por quê? Por que essa mãe não segue adiante? Simplesmente fica repetindo a mesma velha dor, o mesmo antigo lamento!`
Eu perdi meu filho ano passado.

Eu perdi meu filho há 1 ano e 4 meses. Poderá fazer mais, não importa.
O tempo não muda para mim.
O estado de incredulidade, de esperar que fosse tudo uma mentira da vida, essa ilusão que ainda tinha, infelizmente desapareceu.
Meus olhos derramam, todos os dias (sim, todos!!) muitas lágrimas.
Eu percebo o jeito que você olha:
“Você deve seguir, não tem mais jeito .” – que palavras duras para uma mãe – “não tem mais jeito!” Não doeria em você?
Sim, eu estou aqui, parada no tempo, e o meu sentimento é o mesmo:
“Eu perdi a meu filho…hoje, eu perdi todos os meus dias!”
Conteúdo da página do Facebook: “Grieving Mothers”

Esse texto não é meu, mas é definitivamente o retrato da vida de tantas mães…

Mães que estão na fase mais dura do luto, mães que estão no meio do caminho, mães que já passaram anos mergulhadas nesse vazio e nessa saudade e fizeram tantas coisas com esses sentimentos.. Por elas, por seus filhos, pela família e estão aqui, na dura missão de continuar…

Ter outros filhos ameniza? Talvez sim, mas não muda nada, não traz de volta, não limpa sua memória…

Doce ilusão de quem não sabe o que esse sentimento causa e sem querer, as vezes sem sentir, usa de um egoísmo duro e te orienta a virar a página.. Não, ela não vai ser virada, não por que não queremos e sim por que é simplesmente impossível…

DEUS nos dê forças para chegar até o final e nos dar a chance de um reencontro tão esperado!

Paula Miranda

13 MESES…

IGOR

Um dia eu acordei achando que tinha alguns problemas, que tinha me precipitado em algumas decisões, que talvez o Brasil ainda fosse a melhor escolha, que talvez tudo demorasse um pouco mais de tempo para se encaixar…

Estava com um turbilhão de idéias me atormentando durante a noite em um país estranho, longe de tudo que estava acostumada. Nesta loucura eu tinha você… Eu tinha seu jeito simples e irreverente de olhar as coisas, seu amor e carinho constantes, sua voz rouca me chamando de mãe…

Mas sem ser avisada, sem um manual de sobrevivência, você partiu… Partiu em questão de minutos, me deixando 4 dias para uma longa despedida com imagens, cheiros e sons que jamais vou esquecer… Fiquei aqui partida, em pedaços, destruída sem saber como agir. 

13 meses se passaram e muitos ainda passarão, pois não posso fazer a nada a respeito disso, mas o mundo não mudou desde aquela tarde, desde aquele momento, nada mudou para mim, a não ser o fato de que você não está mais aqui e que viver se tornou algo torturante e cansativo, sim cansativo, por que fadiga ter que sorrir por fora… A muitos dias eu parei com tudo filho, você sabe o que se passa em minha cabeça, sabe o quão difícil é enfrentar tudo como se realmente um dia  ficasse mais leve… Não fica, definitivamente não fica…

Nesse percurso eu fiz muitas tentativas frustradas de retomar a vida, me esforcei em alguns projetos que não consegui levar adiante pelo simples fato de não ser mais possível, levei meses para entender isso… Levei meses para me dar conta que quanto mais eu insisto mais perdedora me sinto, mais derrotada me vejo, pois o impulso que uma mãe tem de viver é descomunal, tudo pelos seus filhos…

Algumas vezes me sentia importante mostrando a outras mães como é precioso o tempo com seu filho, como é valioso educar bem, dar exemplos e dedicar amor… Mas passa tão rápido, a sensação é tão superficial que em questão de minutos tudo se colocava em seu lugar novamente, sem você…

Descobri que nenhuma palavra tem poder de consolo, que ninguém pode te dizer que sabe ou imagina o que fica dentro de um coração de mãe dilacerado, que mesmo com tantas tentativas um dia você tem que cair na real e aprender a viver com o que te restou e isso não é nenhum pouco simples… O soco no estômago está ali, no mesmo lugar, te apertando 24 horas…

Em 1 ano e 1 mês eu envelheci 10 anos…  Estou me acostumando a viver com  o novo olhar no espelho, aliás quando me olho no espelho não vejo mais aquela mulher, ela ficou submersa naquela piscina para sempre…

Ah sim, estou grávida, terei a chance de ser chamada de mãe novamente… Quando eu olhar o rosto deste novo amor, espero que algo mude drasticamente dentro de mim, por que hoje, não serei hipócrita novamente…

Bom filho, por que estou falando com você neste tom? 

Por que sei que estás aqui, que me ouve quando te chamo a noite em meu travesseiro encharcado, por que graças a minha coerência de espírito creio em sua plena evolução como ser divino e, como você mesmo me comunicou, a vida não acaba aqui e eu te aceito vivo, sabendo que no momento devido estará lá, a me esperar…

O que ficou? 

O amor, esse sim é imutável…

Na mais pura verdade do meu ser, TE AMO para sempre…

Mamãe Paula

PARTO DO MEU BEBE!!

Olá queridas amigas!!

Hoje vim aqui para pedir a todas vocês que sempre estão por aqui uma ajuda!

Como todas sabem, estou gravidinha de 5 semanas! Estamos muito felizes e confiantes que essa vida nos foi dada para que as lágrimas fossem transformadas em riso e o vazio em amor novamente…

Quando meu lindo Igor nasceu, eu não tinha plano de saúde (assim como nesta gestação não tenho), fiz todo meu pré natal pelo SUS e fui muito bem atendida, mas no dia do parto, eu não pude decidir se queria um parto normal ou não…

Como Igor nasceu com  4 kg era considerado um bebê grande, eu por ter 1,76 de altura, fui considerada uma boa “parteira” digamos assim, mas não é bem assim que as coisas acontecem…

Ao chegar na maternidade pública em Joinville, tive uma indução do parto e em menos de 1 hora eu dava a luz ao Igor… Que nasceu perfeito, mas eu estava literalmente “acabada”.

Durante o parto, os ligamentos da minha bacia se romperam e os ossos se afastaram 3 cm, fazendo com que eu perdesse os movimentos das pernas e sentisse uma dor insuportável por 3 meses…

Agora, nesta gestação já começo a sentir os efeitos desse “erro” médico, sim, por que ao chegar na maternidade deveria ter sido feito uma ULTRA para saber que a cabeça do bebê passaria com facilidade pelo meu espaço púbico, graças a DEUS quem se machucou fui eu , não meu filho, que poderia ter quebrado as clavículas ao passar pela bacia…

Enfim, não quero passar por tudo isso de novo, não quero ter um parto arriscado, nem com o risco de perder os movimentos das pernas novamente e ficar sem curtir momentos preciosos, como dar o primeiro banho, amamentar sem estar cheia de medicação para dor…

Eu mesma criei um evento no site  VAKINHA.COM.BR com o valor de  R$ 6.000,00 é exatamente o valor de um parto cesáreo aqui no Rio de Janeiro em maternidade particular. Toda ajuda será bem vinda, o lance mínimo é R$ 5,00 e eu espero poder ter arrecadado esse valor até dezembro desse ano! Se vocês puderem ajudar divulgando!!

Para contribuir, clique no link abaixo, preencha o formulário, estipule o valor que vc quer pagar a partir de R$ 5,00 e conclua.

Pode ser feito via cartão de crédito, débito em conta, paypal ou boleto para o dia que ficar melhor para você!

PARA CONTRIBUIR CLIQUE AQUI: 

“Que toda contribuição volte para você em forma de amor, cuidado, + dinheiro, vida, saúde e paz!”

OBRIGADAAA!

Paula Miranda

@hypnosemakes